Notícias da Empresa

Voltar

Suzano: como vender papel num mundo que pede sustentabilidade

01/08/2011

Enquanto o mercado, de forma geral, passa pelo fenômeno da comoditização, as próprias commodities pegam o caminho contrário para investir em diferenciação.

É o caso da Suzano Papel e Celulose. A empresa tem apostado em uma plataforma de ações de marketing que envolve desde editoras, autores e o trade, até o consumidor, para mostrar que vale a pena optar pelos produtos da marca

Pelo segundo ano consecutivo, a Suzano foi a única empresa de papel a estar presente na Festa Literária de Paraty, a Flip, e aproveitou a ocasião para se relacionar com os frequentadores do evento.

No processo de diferenciação, um desafio da companhia é comunicar aos consumidores que, ao contrário do que muitos pensam, o papel não é o grande vilão da sustentabilidade.

Para isso, a empresa conta com matéria-prima de origem certificada e lançou recentemente a pegada de carbono, que mapeia os impactos sociais e no meio ambiente de toda a cadeia de produção. Outra iniciativa é o apoio a cooperativas de reciclagem para garantir o descarte correto dos produtos e fomentar o setor.

Leitura confortável

Antes de qualquer esforço de marketing, no entanto, o portfólio da Suzano é o grande trunfo da empresa. “Trabalhamos com quatro linhas e colocamos os produtos de uma maneira diferente no mercado. São de seis a sete lançamentos anuais, que podem ser uma diferenciação de conceito, se o produto já existe, ou uma novidade”, explica André De Marco, gerente de produtos e inovação da Suzano.

Um dos lançamentos recentes da marca é o Pólen, linha de papéis off white. Os produtos foram desenvolvidos para atender as necessidades do mercado editorial e possuem uma tonalidade diferente, que reflete menos luz, deixando a leitura mais confortável.

Fonte: Revista Exame